Sobre onças e sukiyaki

Estive pensando… Já escrevi várias vezes que o bom tradutor é aquele capaz de reproduzir, no leitor da tradução, a mesma experiência de leitura que teria o leitor do original. Mas nunca deixei claro que me referia aos aspectos linguísticos do texto, e não aos culturais. É claro que a estratégia de tradução varia de…

Rimando a rotina

Dia 1o de janeiro, eba, tem o mês inteiro. Dia da confraternização mundial, está escrito na agenda, mas você segue a organização editorial, é bom que logo aprenda. Corre com a tradução de um livro superesperado, com aquele romance conturbado. Público pós-adolescente não tem terror, então nada de pudor. Ninguém quer texto mascarado, melhor deixar…

Séries e diálogos

Início de ano é aquele momento em que a gente dá uma desacelerada (mentira), em que podemos nos dar ao luxo de curtir algumas coisas que em tempos de correria fica impossível. Um dos meus guilty pleasures – expressãozinha essa difícil de traduzir – são as séries de televisão, não apenas as mais famosas e…

Voltamos!

2016! Estamos prontos para mais um ano de trabalho. Quem acompanha o PdL desde o início, lá em 2013, sabe o quanto nos esforçamos para manter essa relação gostosa de bate-papo no blog e trazer textos que tenham a ver não apenas com a tradução, mas também com o dia a dia do tradutor. Neste…

Um segredinho sobre tradução

  Não sei se vou chover no molhado, mas vou contar para vocês alguns segredinhos sobre a tradução. Para isso, não vou usar nenhuma teoria de forma explícita, mas elas estarão por aí, pairando sobre as minhas palavras torpes.   Aviso: este texto tem ironia, tem brincadeira, tem seriedade e é bastante vapt-vupt. Mas o…

Ninguém liga!

Diálogos não mais tão insólitos: – Fulano está de mudança. – Que Fulano? – Fulano de Tal. – Ah, sim, está se mudando para o Facebook, né? Não sai mais de lá, passa o dia reclamando e postando lição de moral. Relutei em escrever este texto. Não queria falar sobre uma coisa que quero evitar…

Tradutor em tempos de crise

Passei a semana toda pensando em escrever sobre Frankfurt e os resultados da feira. Pesquisei, reuni informações, colhi dados, números, analisei, tabulei, refleti… e desisti. De que adianta relacionar números? Já não temos na prática diária do ofício o termômetro da crise no nosso mercado? A verdade é que o mercado editorial, como todos, tem…