Visibilidade e responsabilidade

Muito se fala sobre quanto a internet permite ao profissional expor seu trabalho e atrair olhares que podem ser muito favoráveis, principalmente em tempos difíceis como os atuais. Para que sejam realmente favoráveis, é preciso que esses olhares aprovem o que veem. Em outras palavras, o profissional que se mostra deve se mostrar em seu…

Vilão virtual: você segura o tranco?

De uns tempos para cá, é raro o profissional que não publica uma opinião, um trabalho ou um comentário nas redes sociais ou em outros canais virtuais. É bom ter um lugar aberto para divulgar seu trabalho, se colocar, tornar conhecidos seus pensamentos. Porém, palco sem plateia não faz sentido. Como lidar com as reações…

Tradutor em tempos de crise

Passei a semana toda pensando em escrever sobre Frankfurt e os resultados da feira. Pesquisei, reuni informações, colhi dados, números, analisei, tabulei, refleti… e desisti. De que adianta relacionar números? Já não temos na prática diária do ofício o termômetro da crise no nosso mercado? A verdade é que o mercado editorial, como todos, tem…

Quanto custa o conhecimento?

Um ladrão rouba um tesouro, mas não furta a inteligência. Uma crise destrói uma herança, mas não uma profissão. Não importa se você não tem dinheiro, você é uma pessoa rica, pois possui o maior de todos os capitais: a sua inteligência. Invista nela. Estude. (CURY, Augusto) Um parágrafo curto, simples, mas que resume perfeitamente…

Quando é melhor não traduzir

Alguns chamam de preguiça, covardia ou falta de conhecimento, outros acham que é inovador, arrojado e uma demonstração de segurança. O fato é que não é raro o tradutor se deparar com termos que são intraduzíveis. O que fazer quando isso acontece? Como encarar a necessidade do “estrangeirismo”? A primeira opção é a controvertida nota…

Pisei na bola. E agora?

Errar é humano. Todo mundo sabe disso. Todo mundo erra com maior ou menor frequência, com mais ou menos gravidade, com consequências devastadoras ou sem causar grandes danos. Não importa. O que vale aqui é que TODO MUNDO ERRA. Então, por que é tão irresistível o impulso de apontar e criticar o erro alheio? Tenho…

O Outro Lado da Moeda

O Outro Lado da Moeda Muito já falamos aqui sobre o que é realmente traduzir. Sobre uma coisa estamos todos de acordo: traduzir não é só passar um texto de um idioma para outro. É preciso estar atento à adequação do vocabulário ao público-alvo, ser fiel ao original, preservar as características que dão personalidade ao…

Ler por ler… Será que posso?

O ano finalmente vai começar. Não é o que dizem por aí, no Brasil o ano só começa de verdade depois do Carnaval? Então, chegou a hora, comunidade! E esse intervalo entre o fim do ano produtivo e o começo do novo ano? O que acontece nesse período? De minha parte, a coisa não muda…

Cadê o público-alvo que estava aqui?

É fato: nunca se traduziu tanto para uma faixa etária específica. Os YA (Young Adult, aqui meio “espremido” na faixa adolescente) pipocam em todas as livrarias há anos, e não é difícil encontrar blogueiros ainda muito jovens comentando todo esse material e, tremam, sua tradução. Se criança não tem pena, adolescente chega a ser cruel…

A Tecnologia a Favor da Tradução

Comecei a traduzir em 1989. Minha primeira ferramenta de trabalho foi uma máquina de escrever. Era eletrônica, verdade, mas era só uma máquina. Precisava de papel, tinta, corretivo, um pacote completo de suprimentos. E eu usava dicionários de papel, enciclopédias que ocupavam estantes inteiras, e tinha que ir à editora buscar originais físicos e levar…