Ler é fundamental

O tradutor literário precisa ser uma espécie de escritor? Ouço essa pergunta com frequência.

O tradutor, seja literário ou não, precisa escrever bem. Escrever bem e ser escritor são coisas diferentes. Muitos tradutores são escritores e vice-versa, mas não é regra. Acredito que, muito antes de pensar em ser escritor, o tradutor literário precisa ser um bom – um ótimo – leitor. Em vários sentidos.

Primeiro no sentido mais amplo, que diz respeito a ler muito, a ler de tudo. É fundamental que o tradutor tenha um bom repertório de leitura, que conheça diversos estilos e gêneros, que leia originais nas duas (ou mais) línguas com que trabalha e também textos traduzidos. Que leia os clássicos e textos filosóficos (e saiba identificar referências a eles em outros textos). Que leia por lazer, por interesse, mas também por curiosidade (nem que seja só para tentar entender por que tanta gente ama ou odeia o autor X ou o gênero Y). Que leia jornais, revistas, entrevistas, sites, blogs, conversas informais nas redes sociais. É preciso ler com avidez.

Depois, é essencial ser capaz de ler as entrelinhas, captar as sutilezas tanto da língua como um todo quanto do texto a ser traduzido. Ler muito na língua fonte, a ponto de pode dizer, sem sombra de dúvida, se uma determinada repetição, ou a presença de um pronome, é proposital ou apenas característica do idioma, podendo assim tomar uma decisão consciente na hora de traduzir. Também é importante ter em mente que as línguas estão em constante transformação e evolução, que existem dialetos e formas de falar característicos de certos grupos, de certos países, e que não há apenas uma forma aceitável de manter certas nuances no texto traduzido. É preciso ler com intimidade.

Em terceiro lugar, acho que todo tradutor deveria ler sobre o ofício que pratica. Existe uma série de livros e textos sobre teoria e história da tradução, genéricos e específicos, densos e mais leves; muitos blogs e sites em que tradutores compartilham experiências, relatando dificuldades e soluções encontradas, expondo opiniões, métodos e resultados. Nesse caso, eu diria que é preciso ler com intenção.

Afinal, ler nunca é demais.

Anúncios

4 comentários sobre “Ler é fundamental

  1. Ler com avidez, intimidade e intenção. Disse tudo, Flávia. E isso vale não só para os tradutores, mas para os preparadores e escritores também. Afinal, como ser bom sem conhecer os grandes?

    • Oi, Nanete. Fiquei muito contente com seu comentário. E você está certíssima: vale também para preparadores, escritores e todos que lidam com as palavras.

      Um beijo.

  2. Faço eco das suas palavras. Minha filha e eu adoramos ler, e reler. Leitura com paixão, devoção, intimidade, carinho. Gostamos também de ler originais e suas traduções – ela com francês, português e inglês; eu troco o francês pelo espanhol. Depois trocamos ideias sobre conteúdo, apresentação, a comunicação texto/leitor. É uma experiência gostosa demais.

    Obrigada, Flávia!

    • Muito obrigada por seu comentário, Gio.
      Ler é mesmo bom demais, não é?

      Espero que esteja gostando do nosso blog.

      Um abraço.

Vamos conversar? Deixe seus comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s