Orgulho de quê?

  Todo tradutor gosta de entrar em uma livraria e reconhecer uma capa logo de cara, bem no meio dos títulos em destaque. É uma delícia abrir o livro e ver seu nome lá. Enche a gente de orgulho. Mas do que é que o tradutor se orgulha? E se ele se orgulha, também se…

Uma década depois…

Uma das coisas mais estranhas de “ganhar idade” é que você começa a dividir as épocas em períodos cada vez mais longos. Não apenas infância, adolescência, juventude, quando os anos se misturam e os intervalos entre acontecimentos relevantes são pequenos, já que os anos vividos não são tão numerosos ainda. Com o tempo, percebe que…

Ler é fundamental

O tradutor literário precisa ser uma espécie de escritor? Ouço essa pergunta com frequência. O tradutor, seja literário ou não, precisa escrever bem. Escrever bem e ser escritor são coisas diferentes. Muitos tradutores são escritores e vice-versa, mas não é regra. Acredito que, muito antes de pensar em ser escritor, o tradutor literário precisa ser…

Traduzir livros é uma viagem

Traduzir livros é aprender coisas novas o tempo todo, pesquisar assuntos diversos dentro de uma mesma obra, descobrir o nome em português da chavinha da caixa de força do prédio, explorar muitos terrenos, visitar muitas tribos, falar muitas “línguas”, entrar em mundos desconhecidos. Traduzir livros é sempre ter um assunto novo em mente, é experimentar…